Portal de Notícias do Município do Funchal.

CMF já investiu mais de 3,5 milhões de euros em programas de formação em contexto de trabalho

O Programa de Formação e Ocupação em Contexto de Trabalho é destinado a pessoas em situação de desemprego que não recebem qualquer tipo de apoio.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, acompanhado pelo respetivo Executivo procedeu, esta manhã, à entrega dos certificados a 55 formandos que concluíram o Programa Municipal de Formação e Ocupação em Contexto de Trabalho (PMFOCT), numa cerimónia que decorreu na Sala da Assembleia Municipal.

Miguel Silva Gouveia referiu, na ocasião, que a Câmara Municipal do Funchal “desde a criação deste programa, em 2014, já recebeu mais de 550 formandos, o que representa um investimento de mais de 3,5 milhões de euros. Esta tem sido uma aposta da Autarquia na formação dos munícipes e na promoção de políticas de reinserção no mercado de trabalho, que permitiu dotar praticamente todos os nossos departamentos com bolseiros de diferentes áreas de atividade.”

O Programa de Formação e Ocupação em Contexto de Trabalho é destinado a pessoas em situação de desemprego que não recebem qualquer tipo de apoio, aos quais é atribuída uma bolsa mensal no valor de €438.81 (IAS), com  um prémio de incentivo e integração no final do programa. No último ano, em contexto de pandemia, o Município do Funchal investiu 700 mil euros em programas de formação, tendo atualmente 103 formandos no ativo.

O autarca recordou que já este ano a CMF procedeu à alteração dos critérios de admissão ao programa municipal de emprego, permitindo que anteriores participantes que ainda não tenham inserção no mercado de trabalho possam candidatar-se novamente, desde que para uma área de atividade diferente da primeira, e também estendendo os programas que já estavam em vigor na altura do confinamento por mais quatro meses.

“Estas medidas vão ao encontro daquelas que são as necessidades atuais do mercado de trabalho que está a ser severamente afetado pela pandemia, e representa, igualmente, uma forma de mantermos o nosso compromisso para com os formandos, colmatando alguns dos meses que as pessoas tiveram em casa de quarentena, pois sabíamos que muitos de vós não tinham outra ocupação.”, acrescentou.

O investimento que a Autarquia tem feito no Programa de Formação e Ocupação em Contexto de Trabalho é exclusivamente feito com recurso ao Orçamento Municipal, o Presidente esclareceu que “não temos qualquer ajuda do Instituto de Emprego da Madeira. No entanto, mesmo sem ajudas de terceiros, a CMF vai continuar a manter este compromisso com o futuro da sua comunidade.”

O edil funchalense lembrou as diversas ações de recrutamento que a Autarquia tem vindo a fazer “com mais de 200 funcionários recrutados nos últimos 4 anos, um processo que vamos continuar a dar seguimento também para promover uma renovação geracional nos nossos quadros”, e deixou ainda o desejo de voltar a reencontrar os bolseiros presentes “seja em novos programas de formação ou através de concursos públicos.”

Miguel Silva Gouveia terminou salientando que “cabe a nós, a todas as entidades públicas, contribuir com aquilo que temos para minimizar os efeitos da crise socioeconómica junto da nossa comunidade. Nesse sentido, a garantia que vos deixo, é que podem contar sempre com a CMF como um parceiro incontornável no desenvolvimento das vossas capacidades.”

- Campanhas CMF -

ARTIGOS RELACIONADOS

Este website usa cookies para melhorar a experiência do utilizador. Ao continuar a navegar em funchal.pt está a consentir a utilização de cookies. Aceito Ler mais...