Portal de Notícias do Município do Funchal.

Funchal lança campanha para alertar a população para os perigos do uso de herbicidas

A Câmara Municipal do Funchal está a dinamizar, a partir desta semana, a campanha de sensibilização “Funchal sem herbicidas”, que tem como objetivo principal informar e alertar toda a população para os perigos destas substâncias para a saúde pública e para o ambiente.

A Vice-Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Idalina Perestrelo, que tem a seu cargo o pelouro do Ambiente, explica que “desde  2016 que o Município do Funchal não utiliza herbicidas para eliminar ervas daninhas em jardins e outros locais públicos, como é o caso do glifosato, que é o herbicida mais usado em Portugal e que consta na lista de substâncias altamente cancerígenas, representando um grande perigo para a saúde pública e também para o ambiente devido à sua degradação muito lenta e nociva.”

O Funchal foi um dos municípios que assinou o “Manifesto de Adesão – Autarquias sem glifosato/herbicidas”, uma campanha criada pela Associação Nacional de Conservação da Natureza – Quercus, que tem como objetivo alterar a prática generalizada do uso dos herbicidas para controlo de plantas infestantes (também designadas de espontâneas ou daninhas) em Portugal, nomeadamente por parte das autarquias locais e apoiar estas entidades na procura de alternativas viáveis.

“Depois de assinarmos este compromisso, a monda no concelho do Funchal passou a ser exclusivamente mecânica e manual, e para isso foi necessário reforçar as equipas de monda, equipando-os com motor roçadeiras, sopradores e viaturas. Contudo, este método de trabalho é exigente, moroso, bastante dispendioso e com resultados de curto prazo, pelo que procuramos alternativas para controlar o crescimento de ervas sem recorrer a produtos químicos, como por exemplo a monda térmica, a aplicação de sal-gema e de vinagre de álcool, entre outras”, acrescentou a autarca.

Atualmente o Departamento de Ambiente faz a manutenção de cerca de 1000 km de passeios e bermas, utilizando a monda mecânica e manual, e os métodos alternativos anteriormente referidos para que o crescimento das ervas seja mais lento, nunca recorrendo a produtos químicos. A autarca apela para que todos os munícipes “sejam mais compreensíveis quando verificarem ervas nas bermas e nos passeios, não recorram aos herbicidas e contatem os nossos serviços para que possamos enviar uma equipa para o local.”

As ações de sensibilização vão decorrer através da colocação de duas lonas publicitárias, uma na fachada do edifício do ambiente da CMF situado nos Viveiros e outra no cimo do túnel da Rua Elias Garcia. A campanha será divulgada também no verso da nova fatura das Águas do Funchal, nas redes sociais da Autarquia, e nos diversos canais de comunicação social regionais.

Idalina Perestrelo conclui que “a Câmara Municipal do Funchal está ciente da importância de continuar a destacar os impactos negativos do usos destes produtos sobre a saúde humana e o meio ambiente e, como tal, vai continuar a dotar as pessoas de informação para que estas tenham cada vez mais referências e tomem a iniciativa de fazer a diferença em prol do ambiente.”

- Campanhas CMF -

ARTIGOS RELACIONADOS

Este website usa cookies para melhorar a experiência do utilizador. Ao continuar a navegar em funchal.pt está a consentir a utilização de cookies. Aceito Ler mais...