Portal de Notícias do Município do Funchal.

Núcleos de Proteção Civil Jovem arrancam já no próximo mês

O Serviço Municipal de Proteção Civil arranca já no próximo mês com os Núcleos de Proteção Civil Jovem que visam educar os mais novos para uma cultura de segurança, preparando-os para cenários de calamidade ou situações de emergência.

A Proteção Civil Municipal do Funchal prepara-se para retomar as ações de sensibilização nas escolas para este ano letivo, no âmbito dos Núcleos de Proteção Civil Jovem.

A Escola Ribeiro Domingues Dias, a Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos Dr. Eduardo Brazão de Castro e a Escola Cruz de Carvalho são as instituições que já solicitaram as ações de formação, que deverão arrancar já no próximo mês.

Rui Faísca Figueira, Diretor da Proteção Civil Municipal, explica que o serviço tem até ao momento já “idealizadas e sedimentadas” cerca de 20 atividades que visam dar formação aos alunos, de forma lúdica.

Um uno ou um monopólio com as temáticas da Proteção Civil são alguns dos jogos que tem como intuito ensinar ou sensibilizar para uma cultura de segurança e ao mesmo tempo divertir os mais novos, sendo que muitos destes jogos foram ideias dos próprios participantes.

De referir que, estes Núcleos de Proteção Civil Jovem são facultativos, mas os alunos mostram muito interesse em participar nestas atividades. “Os alunos aparecem por indicação de colegas e até há casos em que vão uma vez e acabam por repetir”, afirma Rui Faísca Figueira, salientando que de ano para ano há um aumento de formandos.

Nos Núcleos de Proteção Civil Jovem são trabalhados temas, ao longo do ano letivo, como a ação em casos de emergência, nomeadamente o primeiro passo – a chamada ao 112 -, em que as crianças e jovens aprendem a saber qual a informação importante a dar no momento em que ligam para as autoridades. Com efeito, o aspeto “psicossocial” é um dos temas mais abordados nos Núcleos de Proteção Civil Jovem porque reside aí a melhor forma de direcionar o socorro adequado. Assim sendo, indicar corretamente a morada, ou quantas pessoas estão envolvidas são alguns dos dados que tem de ser bem comunicados aquando da chamada 112. Só assim é possível enviar para o sinistro a quantidade correta de meios e operacionais. São ainda tratados temas como trabalhar em equipa, ou a escuta ativa, que são também muito importantes em cenários de calamidade.

Nas escolas são ainda levadas a cabo ações de formação sobre desencarceramento, socorrismo, manuseamento de extintores, incêndios florestais e urbanos, entre outras.

As atividades desenvolvidas pelos Núcleos de Proteção Civil tem também lugar fora das instituições de ensino, proporcionando aos alunos uma experiência diferente. Há visitas exteriores a agentes de Proteção Civil como os Bombeiros, Exército, ou Polícia de Segurança Pública de forma a que as crianças e jovens fiquem a conhecer estas instituições por dentro.

Nesse sentido, acrescenta-se que a Proteção Civil, através do Projeto Educativo da Câmara Municipal do Funchal desenvolve ações de informação sobre Fenómenos Naturais ou Incêndios Urbanos e Florestais, que podem ser agendadas através do Departamento de Educação e Qualidade de Vida.

Em suma, os Núcleos de Proteção Civil Jovem visam sensibilizar os alunos para a importância de saber agir numa situação de emergência e adotar comportamentos de segurança, prevenção e autoproteção adequados, promovendo assim o espírito de entreajuda, a empatia, a solidariedade, a cidadania ativa e o aumento da resiliência.

 

- Campanhas CMF -

ARTIGOS RELACIONADOS

Este website usa cookies para melhorar a experiência do utilizador. Ao continuar a navegar em funchal.pt está a consentir a utilização de cookies. Aceito Ler mais...